DRAFT5

Três anos sem Cobblestone: de palco das grandes decisões ao ostracismo

No dia 20 de abril de 2018, mapa era retirado da rotação competitiva

por Lucas Benvegnú / 20 de abr de 2021 - 14:34 / Capa: CSGO Wallpapers

"A mudança é a lei da vida". A frase atribuída ao outrora presidente dos Estados Unidos da América, John Kennedy, pode ser muito bem adaptada à qualquer esfera da vida humana, inclusive ao Counter-Strike. Lá se foram três anos desde uma das grandes mudanças da história do clássico FPS.

Era 20 de abril de 2018 quando a desenvolvedora cavou um espaço para realocar a icônica Dust2 na rotação de mapas competitivos ao custo da eterna Cobblestone.

No dia em que tal mudança completa três anos, separamos algumas curiosidades sobre o mapa que anseia por um retorno aos grandes palcos do CS:GO.

AS ORIGENS

Lançado originalmente no ano de 1999 no CS BETA 6.5 e sendo posteriormente implementado de forma oficial pela desenvolvedora em 2000, ao lado de mapas como Aztec e Italy, outros dos que voltaram no CS:GO, Cobblestone se tornou uma obra de arte perene dentro do clássico FPS.

A Cobblestone em seus primórdios de 1.6 | Foto: Reprodução/ValveA Cobblestone em seus primórdios de 1.6 | Foto: Reprodução/Valve

Desenvolvido por David Johnston, um dos mais renomados criadores de mapas da série Counter-Strike - responsável também por Dust e Dust2 - o mapa nasceu do insucesso de Dave com de_castle, mapa do qual foram reaproveitadas as texturas na Cobblestone.

O RETORNO

Introduzido ao Counter-Strike: Global Offensive no dia 18 de dezembro de 2013, o mapa logo caiu nas graças da comunidade. Completamente reformulada em relação à sua versão do Counter-Strike: Source, a Cobblestone ganhou tons e objetos que lhe deram um ar de Piranesi.

Com o castelo agora situado em solo francês, o mapa puxava-se mais para um lado mais medieval, com armaduras, artefatos de museu que em algum universo paralelo - onde não existem terroristas querendo o explodir todo aquele ambiente - atraíam turistas para suas dependências.

Quem aí se lembra dessa versão do bombsite B? | Foto: Reprodução/ValveQuem aí se lembra dessa versão do bombsite B? | Foto: Reprodução/Valve

Fazendo sua primeira aparição em um Major durante a ESL One Cologne 2014, onde foi jogado em seis ocasiões distintas, inclusive na grande final, o mapa continuaria sofrendo alterações bastante modestas por cerca de um ano, quando no dia 4 de fevereiro de 2015, drásticas mudanças foram promovidas pela desenvolvedora.

Com alterações em suas principais regiões, desde o meio, passando pelo bombsite A, chegando à queda e ao bombsite B, o mapa foi quase que completamente redesenhado para obter uma abordagem mais tática e competitiva para ambos os lados.

Depois da atualização: a mais icônica versão da Cobblestone | Foto: Reprodução/ValveDepois da atualização: a mais icônica versão da Cobblestone | Foto: Reprodução/Valve
Continua depois do anúncio

ONDE A HISTÓRIA FOI ESCRITA

Foi na Cobblestone que os fãs de Counter-Strike viveram alguns dos mais épicos momentos da história do FPS. Do ACE clutch 1v4 de Olof "olofmeister" Kajbjer frente à rival Natus Vincere, passando pela pinada obscena de Finn "karrigan" Andersen em Kenny "kennyS" Schrub, chegando ao lendário clutch 1v4 de Janusz "Snax" Pogorzelski contra a NAVI na final da ESL One New York 2016.

Com a torcida brasileira, não foi diferente. A SK Gaming de Marcelo "coldzera" David e companhia deu grandes alegrias aos seus apoiadores por lá. A final do segundo Major conquistado pelos brasileiros se resolveu na Cobblestone: amasso de 16 a 6 contra a Team Liquid. Foi justamente nesse campeonato que cold protagonizou uma das mais belas jogadas que as paredes daquele castelo já testemunharam.

Foi por lá também que uma das mais épicas decisões da história do CS se resumiu: a final da EPICENTER 2017 entre SK Gaming e Virtus.pro, embate que já foi tema da série Jogos Históricos, onde a gigante brasileira triunfou sobre os poloneses após duas prorrogações.

FIM DE UMA ERA

Despedindo-se da rotação de mapas competitivos para dar lugar à clássica Dust2 no dia 20 de abril de 2018, a Cobblestone nunca mais teve o mesmo prestígio. Por um tempo, o mapa não teve grandes novidades até o Halloween daquele longínquo ano, quando recebeu mais uma leva de alterações.

Comemoração de Halloween na Cobblestone não agradou muita gente | Foto: Reprodução/ValveComemoração de Halloween na Cobblestone não agradou muita gente | Foto: Reprodução/Valve

Na atualização de Dia das Bruxas, diversas mudanças que desagradaram a comunidade, como a remoção da região do bombsite A, que foi transferido para uma carroça na frente do muro, a possibilidade de escalar a queda sozinho, além da extinção da região da Dragon Lore e da escada verde.

HORA DE VOLTAR?

Se forem analisadas as reinvindicações dos atletas profissionais, o principal ponto a ser criticado é o map pool do jogo, intocado desde a chegada de Vertigo e a remoção da Cache, em março de 2019. Cobblestone seria uma boa opção para quebrar a monotonia do jogo.

Cobblestone ainda pode ser jogada na plataforma líder | Foto: Divulgação/Gamers ClubCobblestone ainda pode ser jogada na plataforma líder | Foto: Divulgação/Gamers Club

Se o mapa voltará a ser palco de momentos históricos para o CS:GO, apenas o tempo - e a dona Valve - serão capazes de mostrar. Enquanto isso, uma forma de matar a saudade é jogar um lobby na Gamers Club, onde a Cobblestone ainda reina soberana.