DRAFT5
OneTap: A chocante transferência de device
O que levou a lenda dinamarquesa a deixar a equipe mais vencedora da história do Counter-Strike?
por Lucas Benvegnú
29 de abril de 2021Compartilhe:

Antes de continuar a leitura, recomendo que você leia os seguintes artigos:

Ninguém, absolutamente ninguém, viu a iminência de tal mudança. É bem verdade que device já havia declarado anteriormente que esperava que algo dentro da Astralis mudasse, mas era surreal imaginar algo desse calibre uma semana atrás.

Heráclito de Efeso, um dos principais filósofos pré-socráticos, define bem a imprevisibilidade da vida: "Nada é permanente, exceto a mudança". Ainda parece difícil de perceber, ao menos à primeira vista, o que levou device a deixar a mais vitoriosa equipe da história do Counter-Strike - e talvez dos esports - para se juntar à uma organização que não ganha nada há mais de três anos.

O que motivou device a deixar a Astralis? | Foto: Divulgação/Ninjas in PyjamasO que motivou device a deixar a Astralis? | Foto: Divulgação/Ninjas in Pyjamas

Analisando minuciosamente o caso do dinamarquês, é possível compreender a decisão daquele que é certamente um dos melhores jogadores da história do CS:GO. Elenquei algumas das razões, as quais você confere abaixo.

1. LAR DOCE LAR

device já mora na Suécia há um bom tempo. Tem sua namorada por lá e um lar para chamar de seu. Aos 25 anos, multicampeão, com a vida feita, o AWPer pode se dar ao luxo de escolher onde jogar.

É claro, o deslocamento de um país para o outro no Velho Continente é infinitas vezes mais fácil do que por aqui, mas nem por isso, viajar de Estocolmo a Copenhagen - separadas por aproximadamente 660km, deixa de ser um tanto quanto cansativo, isso ignorando o período longe de casa em prol dos bootcamps.

device e Emilia Hult, sua namorada | Foto: Reprodução/Instagramdevice e Emilia Hult, sua namorada | Foto: Reprodução/Instagram

Em um tempo pandêmico, onde muito se fala sobre o fator psicológico, especialmente em um jogo onde isso faz toda a diferença, por que não ficar mais perto de quem você ama? Nem mesmo um dos melhores de todos os tempos tem o coração de gelo - exceto nos clutches!

Continua depois do anúncio

2. NOVOS ARES

Foram mais de sete anos atuando lado a lado com Andreas "Xyp9x" Højsleth e Peter "dupreeh" Rasmussen. Juntos, os "robôs dinamarqueses" cansaram de erguer troféus.

Lembrando superficialmente, consigo me recordar das finais da ECS nas temporadas 5, 6 e 8, as finais da ESL Pro League nas temporadas 7 e 8, ELEAGUE Premier 2018, uma infinidade de BLAST Pro Series e outros quatro Majors - Atlanta (2017), Londres (2018), Katowice (2019) e Berlim (2019).

Ninguém venceu mais que device e a Astralis. Absolutamente ninguém. O AWPer ainda faturou dezoito prêmios individuais, sendo oito deles apenas em 2018, o ano mais vitorioso da dinastia que construiu junto da gigante dinamarquesa, onde foi eleito o segundo melhor jogador do mundo.

device venceu tanto que pôde até quebrar o troféu de um Major | Foto: Reprodução/StarLadderdevice venceu tanto que pôde até quebrar o troféu de um Major | Foto: Reprodução/StarLadder

Mas o quão tentadora não parece a ideia de trabalhar com novos e promissores atletas depois de tanto tempo enxergando os mesmos rostos de sempre, com o potencial para trazer um Major para uma equipe que anseia por glórias há tanto tempo? Às vezes uma mudança de ares é bom para todos.

3. DESGASTE E ESTRUTURA

Conforme reportado pelo site DBLTAP.com ainda no primeiro semestre do ano passado, alguns atletas da Astralis vinham passando por um certo desgaste com a direção da organização por conta do pesado calendário de jogos que a equipe teria de cumprir.

Apesar das ausências temporárias de Xyp9x e Lukas "gla1ve" Rossander, device não deixou de participar de absolutamente nenhum compromisso da Astralis ao longo de todo o pandêmico, fatídico e estressante 2020.

Aliás, device logo em seu primeiro dia como um ninja exaltou todo o trabalho acerca da preparação do elenco, enxergando tal sistema "cinco passos à frente" do qual ele já era habituado na Astralis. O dinamarquês não se restringiu apenas a esses elogios, ressaltando a qualidade da estrutura oferecida pela organização.

FOI O CERTO A SE FAZER?

Me vejo muito empolgado com a adição de device à Ninjas in Pyjamas e creio que talvez esse seja o empurrãozinho do qual a equipe tanto precisava para finalmente ultrapassar a marca do top 10 e credenciar-se na luta por títulos.

Apenas o tempo será capaz de dizer se device fez a escolha certa ou não. Independente disso, a história já foi escrita: o que o dinamarquês fez junto da Astralis ninguém mais apaga e dificilmente supera.

*as opiniões expressas nesse texto não refletem as opiniões das empresas DRAFT5 e Gamers Club
PUBLICADO POR:Lucas Benvegnú@LucasBenvegnu

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.