DRAFT5

Os melhores no Brasil em 2020: (11) - try

Jovem de 16 anos foi MVP da Masters VI, mas conseguiu ao todo 6 listagens na temporada, rendendo 46,6 D5 points

por Lucas Spricigo / 12 de jan de 2021 - 19:23 / Capa: Arte/DRAFT5
Santino Rigal nasceu em General Pico, uma cidade de pouco mais de 50 mil habitantes na província de La Pampa na região central da Argentina.

Apaixonado por futebol, como grande parte de seu país, jogou o esporte bretão ainda jovem, mas foi a paixão como torcedor do River Plate que moveu Santino para a competição. Porém, a história do jovem nascido em setembro de 2004 passou longe da glória mundial do clube nos anos 80 e 90, mas sim, nasceu durante a mais forte crise dos millionarios. Quando começou a entender o que era futebol, o River caía para a segunda divisão no ano de 2011.

Assim como Santino, a reconstrução do River Plate foi meteórica e, em 2014, já comemorava o título nacional e hoje é, novamente, um dos mais temidos clubes do futebol sul-americano. A coincidência é grande entre a nova Era do clube que torce e a carreira, ambos hoje são observados de perto pelos adversários e abrem os olhos do cenário internacional para a Argentina.

Foi numa lan house administrada pela mãe e o avô que a criança de nome Santino se tornaria TryToStopMe, e aos poucos aprendia tudo sobre o Counter-Strike 1.6. Porém, assim como a antiga versão do jogo, grande parte de seu apelido foi deixado para trás, diminuindo a alcunha para try, numa tentativa de cair mais facilmente na boca das pessoas. E em 2020, Santino "try" Rigal, legitimamente, conseguiu.

Santino diz que mesmo a família sendo ligada ao mundo virtual, não gostavam que ele ficasse tanto tempo na frente do computador e que, como toda família normal, as brigas aconteciam. O pai do jogador, Nazareno Rigal, afirma que try teve uma infância com normas: “tempo de jogar, escola e praticar esportes”, conta.

Porém, ao passo que a família de try enxergava a evolução e que algo poderia vir dali, apoiava mais: “hoje em dia são os fãs número 1. Me apoiam em tudo”, afirma o atleta.

Os primeiros passos de try como jogador de CS:GO foram dados na Evolve, uma equipe semiprofissional, com alguns jogadores reconhecidos no cenário argentino como Ignacio “GordoReally” Grosso.

A Evolve teve um importante desafio em dezembro de 2019 no classificatório da WESG Latam, lá a equipe acabou em 3-4, mas a participação entre mais de 60 equipes chamou a atenção da 9z, que na época preparava uma remontada de sua equipe academy.

Foto: Micaela Acuña


Mas a carreira de try, assim como o renascimento do River Plate no fim do calvário do início da década, foi meteórica. Um mês após chegar para ser lapidado na equipe de base, faria parte da 9z principal, chegando ao mesmo tempo que o treinador brasileiro Rafael "zakk" Fernandes.

Ter poucos meses de carreira e trabalhar com membros tão consagrados da história do Counter-Strike sul-americano, try afirma que no começo foi desafiador “estava jogando num nível muito menor, tive que aprender muito rápido, mas deu tudo certo”.

Mal sabe try que a impressão de zakk logo de início deu o tom do trabalho dos meses seguintes: "Uma pessoa extremamente humilde, de cabeça aberta e esforçada. Esses 3 pontos parecem básicos para quem quer evoluir mas são qualidades absurdas no nosso mundo de esport. Geralmente, as pessoas levam suas crenças como verdade absoluta e não conseguem se 'desdobrar', mas o try se adapta e escuta. Esse é o grande diferencial dele e o que vai fazê-lo chegar ainda mais longe", afirma o treinador.

Realmente deu certo, logo nos primeiros dias com a camisa da la violeta, try teve conquistas menores e um vice da primeira Aorus League de 2020 para a Imperial. Nesta altura, a 9z ainda contava com outro brasileiro, Alexandre "xand" Zizi, hoje no VALORANT.

Ainda no primeiro semestre levaram o título da ESL Brasil Premier League Season 12, além do vice da Liga Dell de maio. O primeiro MVP da carreira de try viria na Liga Dell de junho com 1.38 de KDR. No fim daquele mês a saída de xand daria lugar ao estrelado Ignacio "meyern" Meyer.


Ao lado do ex-MIBR, try teria conquistas como a MSI Cono Sur League e a La Liga Pro Sur Apertura. Em julho outro título da Liga Dell, com EVP para Santino.

Agosto chegaria com o vice continental da Aorus #3 para a Redemption, hoje Havan. Os bons resultados nos meses anteriores renderam um convite para o CLUTCH S3, mas a 9z teve grandes dificuldades, terminando em sétimo. Porém, try foi um dos destaques do torneio, sendo EVP.

Em setembro a violeta falharia no classificatório do Tribo to Major, mostrando uma certa fragilidade e que algo não estava certo internamente na equipe. Dias depois meyern anunciou que estaria parando sua temporada para cuidados pessoais.

O escolhido, mesmo como temporário, foi Martin "rox" Molina, que havia disputado grandes eventos na temporada com a Cream Real Betis.

Em novembro, a 9z bateria na trave em busca de vaga na BLAST, além de conquistar torneios menores na Argentina. A grande conquista do mês ficou pela vaga na GC Masters VI.

PRIMEIRA LAN E REMONTADA AO ESTRELATO


Porém, o desafio de try viria primeiro na FiReLEAGUE - Regional Finals, torneio em lan na Argentina, o primeiro presencial da carreira do jogador. Foi da esperada vitória para uma derrota dolorida por 2 a 1 para a Furious e eliminação: “Foi uma experiência muito boa pra mim e para a equipe. Acredito que pesou a falta de experiência em toda a equipe. Era nosso primeiro presencial juntos”, conta.

A “cobrança” por um resultado positivo na FiReLEAGUE também foi reforçada pelo treinador: “foi com certeza muito triste, mas não diria que foi uma surpresa absoluta. O jogo em lan é totalmente diferente. O fator psicológico aliado a experiência e pressão individual por resultado pesou demais no nosso jogo”, afirmou zakk.

Mas não havia espaço para choro. Poucos dias depois outro grande desafio do ano seria na GC Masters VI, de forma online por conta da pandemia. Try e zakk entenderam a derrota presencial como aprendizado: “toda derrota eu aprendo o dobro e isso é essencial para melhorar”, disse try. “Assistimos as demos e conversamos como qualquer outra derrota, tendo em mente que todo o trabalho que fizemos antes daquele campeonato foi muito bom. A derrota não apagou as semanas de conversa e, no fundo, todos sabiam que nosso bootcamp nos fez evoluir muito”, comentou o treinador.

Divulgação/9z


Evolução pode encaixar muito bem, mas o que a 9z fez realmente foi uma remontada, talvez até possamos novamente comparar ao River Plate do futebol no início da década. De uma dura derrota a glórias quase eternas.

A GC Masters da violeta surpreendeu a todos. Try que havia conseguido um dos piores índices individuais dias antes, seria o MVP com mágicos 1.38 de rating 2.0. Unânime melhor jogador da maior competição de Counter-Strike da América do Sul no segundo semestre.

DESAFIOS DE 2020 E 2021


O ano de try foi recheado de conquistas, mas o jogador também é pé no chão para falar sobre os desafios que enfrentou. Ainda em idade escolar, teve de dividir seu tempo com os estudos online, mas classifica o ano como “o melhor da minha vida”, pois mesmo com todos os problemas mundiais envolvendo a pandemia conseguiu “dar um giro retumbante” no seu futuro, e espera um 2021 ainda melhor.

A violeta anunciou recentemente que partirá para o NA neste ano, visando as disputas que terá por lá, try é enfático no tocante uma uma vaga na ESL Pro League: “vamos dar tudo de nós para chegar lá”.

Orgulho da família, Santino enche o pai, Nazareno, de orgulho: “Em 2020, San cresceu muito, é muito centrado, dedicado, é maduro e sempre com desejo de seguir aprendendo”, afirma.

O pai do jogador ainda aponta o desafio de ficar longe do filho em 2021: “Acredito que sempre foi seu sonho, competir no EU e NA, e ver que já começou a cumprir isto, a mim como pai me resta apoiá-lo e desfrutar disso. As distâncias vão ser grandes, mas nosso amor por ele pode superar tudo”.

Dentro do jogo, try ainda teve outro desafio: o de jogar com AWP. Sem gostar no início, o jogador se adaptou muito bem, o que rende elogios dos companheiros "tem cabeça aberta pra ouvir críticas e não rebater".

O 11º MELHOR DO BRASIL EM 2020


Arte/DRAFT5


Try começou a aparecer como destaque praticamente no segundo semestre de 2020. O MVP da Liga Dell de junho era um prelúdio do que aconteceria no fechamento do ano. Porém, o jogador ainda foi EVP da Liga Dell de julho e, com a mudança da violeta para o CLUTCH, conquistou seu EVP na divisão máxima do Counter-Strike brasileiro. Ele voltaria a ter EVP na Aorus #4, mas o melhor estava reservado para dezembro, mesmo com o vice, foi MVP da GC Masters VI, o que bombou sua posição na lista dos melhores do ano.

Somadas tais conquistas, try conseguiu 46,6 D5 Points, quase 5 a mais que o décimo segundo colocado. Porém, por ter começado a se destacar somente em junho, o jovem não teve tanto tempo para conquistar mais coisas, impossibilitando de chegar nas posições mais altas.

Nos números, o jovem de 16 anos foi o sexto em clutches, o nono em rating 2.0, o oitavo em KD, além de também ser oitavo em KAST, mostrando a importância dele dentro do sistema tático da 9z.

Arte/DRAFT5


Muito dos destaques de Santino vieram pelas jogadas de alta confiança e segundo zakk tais riscos fazem com que ele seja um jogador diferenciado, porém com a experiência saberá o melhor momento: "Não gosto de por 'fucinheira' nos caras", disse, " mas ele está aprendendo o quanto a vantagem numérica faz diferença num jogo apertado".

E é, sem fucinheira e com destaque meteórico, que try rumará ao NA no início de 2021 buscando conquistas ainda maiores.
Continua depois do anúncio