DRAFT5

Os melhores no Brasil em 2018 (3) - Land1n: A reinvenção do individual

Land1n é o terceiro da nossa lista de melhores de 2018 atuando no Brasil

por Cristino 'cac0' Melo / 10 de Jan de 2019 - 19:59 / Capa: Draf5
Paulo Felipe nasceu para jogar, desde os 13 anos consegue ganhar dinheiro com "joguinhos". Como muitos garotos, frequentava LAN Houses em Brasília, era viciado em Tibia e conseguia algumas cédulas vendendo Char. Seu nick surgiu daí. Na sugestão de nome do jogo surgiu "landscape", mas ao longo do tempo, os mais íntimos foram chamando de landin. Assim, quando ele foi para o Counter-Strike, manteve o nick no diminutivo. O "1" substituindo o "i" foi uma pequena homenagem ao seu companheiro de equipe na época Rogerio "del1n" Abreu.

O brasiliense começou a carreira ainda no Counter-Strike 1.6, em 2014. Seu primeiro time, Fuckin'5, migrou para o CS:GO e mudou de nome para Void Team. Com a equipe, teve a oportunidade de participar de um grande torneio e mostrar seu jogo para todo o cenário. A R1se Cup 2015 marcou o cenário nacional, revelando grandes jogadores como o próprio land1n.

Land1n atuando na R1se Cup 2015 | Foto: Divulgação/R1se


Se destacando no torneio que aconteceu no Rio de Janeiro, recebeu o convite para jogar no Anata, time formado por mch, pava, fpg e dzt. Ali tomou sua primeira grande decisão: trancou o curso de psicologia para se dedicar apenas ao CS, mesmo não tendo um computador próprio.

Entre 2015 e 2016, rodou algumas equipes como a Santos Dexterity e a SuperNova, até chegar na Big Gods. Nela formou o quinteto com Alef "tatazin" Pereira, Thiago "tifa" França, Denis "dzt" Fischer e Denner "KHTEX" Barchfield. Menos de um mês depois, KHTEX deixou a equipe e Felipe "delboNi" Delboni ocupou seu lugar. Com essa line, disputaram diversos torneios, porém, alcançaram poucos títulos.

Arte: Draft5


A g3nerationX dominava o cenário brasileiro no segundo semestre de 2016 e conquistou diversos troféus, deixando a Big Gods sem grandes chances. O grande título de land1n com a Big Gods foi Intel Gaming Challenge 2016. Na competição, realizada na Max5, delboNi não pôde participar por conta de uma viagem escolar, então trouxeram Gabriel "NEKIZ" Schenato. A parceria deu certo e ficaram com o prêmio de R$4 mil. O torneio já foi emocionante por ser presencial, algo raro para o cenário brasileiro na época, e a decisão o deixou ainda melhor. Numa melhor de cinco, decidida apenas no último mapa, land1n foi o top fragger da partida e terminou como MVP da competição.

Título da Intel Challenge e MVP para land1não | Foto: AgenciaX5


Apesar dos bons resultados, a Big Gods encerrou sua equipe ao final de 2016. Sem organização, e já sem tifa e delboNi, land1n fez uma nova formação no início de 2017.

"Quando acabou 2016, tiramos o tifa e o delboni foi para um time com o BIT. Resolvemos chamar NEKIZ e chelo. Chelo nem queria mais jogar, ia começar a faculdade. Tiramos ele do buraco [!risos!]. E o nekao tava com a Innova."

Com a nova formação os resultados começaram a vir e já no início do ano foram contratados pela paiN Gaming. Foram três conquistas consecutivas e uma vaga para o Minor das Américas para o PGL Major Kraków 2017.

Com essa vaga garantida, land1n foi pela primeira vez para os Estados Unidos tentar a vaga para o Major. Chegando lá, sua equipe teve todo o apoio necessário para se manter durante o tempo previsto. Mas, a vontade de evoluir era maior e ele e seus companheiros decidiram ficar na América do Norte.

"Resolvemos ficar por lá por conta própria... ficamos uma semana em um motel até que o dead nos ajudou."

No Minor das Américas, apesar de não ter conquistado a vaga, teve uma vitória convincente contra a Misfits Gaming por dois mapas a zero. No entanto, sua equipe não conseguiu derrotar a Counter Logic Gaming e não avançou as semifinais da competição. Após a competição, já com a decisão de ficar nos EUA tomada, land1n e seus companheiros começaram a procurar por uma organização americana.

Rapidamente surgiu a Tempo Storm dando oportunidade para a equipe. Na organização, foram aproximadamente cinco meses de altos e baixos. Disputaram diversos classificatórios para grandes torneios e alguns presenciais. Em uma das primeiras oportunidades de jogar em LAN, land1n foi o grande destaque brasileiro na iBUYPOWER GameFest, em Costa Mesa, Califórnia. Os pontos baixos foram muito por conta das diversas mudanças que ocorreram entre sua equipe e a Immortals, que também passava por problemas.

"Foi o principal fator (as trocas em excesso). Prejudicou muito, o Reynard, dono da Tempo Storm, se desculpou com a gente mais de uma vez por ter vendido os caras faltando uma semana pra final da ECS contra Ghost. Ficamos uma semana sem treinar."

Após tantas trocas, a Tempo Storm encerrou o ano de 2017 sem NEKIZ e chelo na line-up e com Bruno "shz" Martinelli e Lucas "destiny" Bullo. Apesar disso, land1n considera a ida para os Estados Unidos como melhor momento da carreira.

"Com certeza (o melhor momento) foi a ida para os Estados Unidos. Ficamos em primeiro nos grupos da ECS, jogamos a DreamHack, etc.

Iniciando a temporada 2018, os jogadores buscavam a renovação do visto para voltar aos EUA. Porém, sem êxito, a TS acabou dispensando todos seus jogadores.

Com o fim da equipe, os jogadores se separaram, mas o trio land1n, tatazin e dzt seguiu junto. Jogando na mesma equipe desde a época de Big Gods, os três se tornaram grandes amigos.

"É muito bom manter uma base com pessoas que tem o mesmo objetivo... e ainda mais sendo pessoas de bom coração e que entendem o que querem. Gosto muito de construir uma base, ainda mais sendo AWP, que assim você garante sempre estar em um bom time."

Ainda sem organização, e agora de volta ao Brasil, utilizaram a tag Dereguedere para disputar as competições. A equipe com shz e fP1 não encaixou nas competições iniciais que jogaram. Com os maus resultados, mudanças eram necessárias. Mas não era só a Dereguedere que precisava, a Virtue também passava por dificuldades.

O VERDADEIRO 2018 DE LAND1N COMEÇA

Unidos, como nos dois últimos anos, land1n, tatazin e dzt fecharam com a Virtue Gaming e se juntaram aos ex-companheiros KHTEX e destiny.

Apesar da grande skill individual de todos os jogadores, o time não se encaixou. Mesmo na má fase da equipe, land1n mantinha o alto nível com sua AWP. No GG.BET Ascensão, foi o jogador que carregou a equipe a decisão. Na ocasião, land1n e seu time não conseguiram parar a então ascendente FURIA eSports.

Em todos os torneios, land1n manteve seu rating maior que 1. Mesmo com seu time não indo bem nas competições, ele mostrou uma enorme regularidade. Nos classificatórios abertos para o FACEIT Major 2018, a equipe foi derrotada na primeira tentativa para a Isurus Gaming e na segunda para FURIA eSports.

As coisas começaram a mudar quando um dos parceiros de land1n deixou a equipe. A equipe optou por trocar dzt por Vinícios "PKL" Coelho. O mineiro assumiu o papel de in-game leader da Virtue e rapidamente o entrosamento surgiu. Quatro dias após a mudança, conquistaram a segunda edição da Aorus League. Na decisão contra a FURIA Inagame, land1n foi o melhor da MD3 com rating de 1.34 e com mais liberdade para fazer seu jogo, conseguiu 16 first kills nos três mapas jogados. Ao final do torneio, ficou com o prêmio de jogador mais valioso.

Em seguida, land1n e companhia emplacaram os títulos da Liga Pro de julho, AMD Red League e ESEA Season 28. Em todos eles, land1n se destacou, mesmo não sendo MVP.

Mesmo com a mudança de organização, os jogadores continuaram com sua performance em alta. Com o fim das operações da Virtue Gaming no Brasil, eles passaram a defender a Team Wild. A equipe seguiu fazendo um 2018 incrível. Em todas as competições disputadas chegaram ao menos às semifinais.

land1n foi parte fundamental em todas. Dos 21 campeonatos, foram apenas quatro com rating abaixo de 1. Em todas as finais que resultaram em títulos, o player foi top fragger de AWP, mostrando a skill em dia com a arma. Na Liga Pro do mês de setembro, 42% das eliminações feitas por ele foram de AWP. Com esse desempenho e sendo top fragger com a arma na competição, ele foi eleito o MVP do torneio.

Arte: Draft5 | Estatísticas: HLTV


Além desse torneio, land1n foi escolhido MVP na Geek City Challenge CS:GO 2018 e EVP na GG.BET Ascensão, GAMECON Open CS:GO 2018, classificatório aberto sul-americano para o Americas Minor Katowice 2019 e ESEA Open 29.

Ano incrível coroado com o título da Gamers Club Masters, o "major" brasileiro | Foto: Lucas Spricigo/Draft5


Regularidade. Essa é a palavra que define a temporada 2018 de land1n. O AWPer, independente da fase da equipe, continua com a mesma tranquilidade para trabalhar round a round. Foram três títulos de MVP, seis de EVP e diversos outros torneios onde figurou entre os top10 nas estatísticas dos torneios. Por isso aparece em terceiro lugar na lista da DRAFT5, coisa que ele até esperava.

"Eu sou o top6? (...) top1 destinyy, top2 yuurih, top3 land1n? Acertei?"

Apesar de encerrar 2018 em alta, sua equipe passou por mudanças, tanto de organização, quanto de atletas. Mesmo assim, ele espera um ano ainda mais vitorioso:

"A expectativa para 2019 é pescar o FalleN na China, by cqntrol [!risos!]. Continuarei dando o meu máximo e procurando novas formas de aprender ainda mais sobre o jogo, tanto em time quanto individualmente."
Continua depois do anúncio