DRAFT5

"O que construímos por anos se desfez em doze meses", diz kuben sobre decadência da Virtus.pro

Treinador falou sobre experiência de viver a decadência da Virtus.pro nos últimos anos

"O que construímos por anos se desfez em doze meses", diz kuben sobre decadência da Virtus.proFoto por: Reprodução/HLTV
Do apogeu à queda. O time que venceu praticamente tudo que disputou – incluindo um Major – e que chamou a atenção do cenário competitivo viu o fim chegar até praticamente ser desmontado. A Virtus.pro de Wiktor "TaZ" Wojtas e Jarosław "pashaBiceps" Jarząbkowski comandada por Jakub "kuben" Gurczyński chegou ao fim no início de 2019 depois do time persistir em voltar à fase vivida nos anos anteriores.

Em entrevista à HLTV, o treinador que viu o time se desfazer aos poucos falou sobre a boa relação entre os jogadores e o fator motivador para a falta de harmonia entre os companheiros de equipe. Mesmo com a falta de resultados positivos, a Virtus.pro chegou a disputar dois Majors, mas carregou ainda mais maus resultados. "O que construímos por vários anos se desfez em doze meses", avaliou o treinador.

Pouco antes da "bomba estourar", a lineup da Virtus.pro teve os contratos renovados por quatro anos. Além disso, TaZ recebeu uma Mercedes como bônus de renovação, que serviu como fator decisivo para quebrar o clima da equipe.

alt Treinador viveu momentos de ouro ao lado da Virtus.pro | Foto: Reprodução/HLTV


"Penso que o aumento dos salários não teve um impacto tão significativo no mau desempenho da equipe como o fato de membros do time se sentirem subestimados porque apenas TaZ recebeu o bônus da Mercedes. Era triste que, apesar da nossa longa amizade, a raiva e o ciúme entrassem no lugar, em vez de desfrutar do sucesso de um companheiro de equipe", analisou kuben.

Alguns anos depois, o treinador já consegue enxergar o que seria necessário naquela época para que o time se reencontrasse. Além de assumir que viria com bons olhos a contratação de um psicólogo, kuben revelou "é necessário desenvolvimento contínuo para manter o alto desempenho".

"Procurar novas soluções corretas permitirá que você dê um passo à frente do resto. Para isso, você precisa de pessoas que tenham mentes abertas e que sigam nessa direção. Se você ficar parado, você volta. É por isso que acho que, com a direção certa tomada pela gerência da equipe, é muito mais fácil liderar os jogadores".

Sem atuar com nenhuma equipe, o treinador falou sobre os jogadores poloneses que estão saindo do país para atuar em outras organizações ao invés de defenderem um time da Polônia. Apesar de respeitar a decisão, ele mostra descontentamento com a atitude.

"Eu entendo os jogadores que são contratados por times internacionais, mas não consigo entender que em um país de quase 40 milhões de pessoas não haja ideia de como criar um time assim. Posso nomear imediatamente alguns jogadores que formariam um time que, com recursos financeiros e o gerenciamento adequado, poderiam chegar perto dos 10 melhores do mundo".

Além de revelar que está estudando e consumindo o Counter-Strike como nunca, kuden falou qual novo projeto gostaria de embarcar se tivesse a oportunidade. "Gostaria de trabalhar em uma organização que sabe qual caminho querem seguir e que tenha estabelecido metas", disse o experiente treinador.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Saiba Mais Sobre

Notícias Relacionadas