nqz fala sobre RMR e concorrência por vaga no IEM Rio Major: "É possível ganhar dos caras"

O brasileiro também fala sobre adaptação à equipe e mentalidade

por Lucas Gerardi / 26 de Set de 2022 - 11:00 / Capa: Divulgação/9z Team

Uma das representantes latino-americanas no RMR das Américas, a 9z Team é uma das principais equipes da região e conta com três brasileiros em seu elenco. Como forma de entender melhor a preparação e caminhada da equipe até Estocolmo, a DRAFT5 conversou com Lucas "nqz" Soares para saber mais sobre sua chegada à equipe, as mudanças no elenco e muito mais.

Anteriormente vestindo o uniforme da verde-amarela B4 Esports e colocando a organização como uma das melhores do Brasil no Counter-Strike: Global Offensive (CS:GO), o jogador chegou à equipe argentina em junho deste ano. Reforçando o plantel após a saída de Luca "Luken" Nadotti, o atleta brasileiro comentou sobre como foi a mudança de ambientes.

"Saída de time é assim, ainda mais quando você cria um vínculo de amizade com o pessoal é sempre difícil. Mas é que nem eu falei pro pessoal assim que me chamaram, é uma coisa que acho que ninguém no meu lugar negaria. A 9z querendo ou não é um time mais estabilizado, um time com um nível mais estabelecido de jogo e organização, diferente da B4 que a gente estava no início do projeto", comenta.

"Era algo mais seguro pra mim e pô, os projetos apresentados pela 9z me chamaram atenção. Nunca é fácil sair de time, se despedir dos moleques, porque ninguém gosta de fazer mudança, né? Mas é uma coisa que veio e eu pensei 'quero muito'. Me joguei de cabeça e queria fazer tudo pra poder ir, foi uma oportunidade do caramba", complementa com um tom de gratidão.

Desta forma, com sua chegada à equipe, nqz terá uma oportunidade maior de fazer algo que muitos brasileiros anseiam: jogar campeonatos internacionais contra os melhores do mundo - o que, segundo o jogador, ajudou em sua decisão.

No entanto, para realizar o sonho e colocar-se em um projeto mais consolidado, se despediu de uma equipe completamente brasileira e agora passa a fazer parte de um elenco com quatro nacionalidades diferentes.

No começo tava caótico, tava complicado. Teve esse período de adaptação, mas os meninos têm muita facilidade em entender o português, sabe? A ideia é falar em espanhol, então vai se adaptando, perguntando e tentando falar. Hoje em dia tá saindo mais fluído”, revela o brasileiro.

Ao lado de jogadores já familiarizados com outros brasileiros, como Bruno "bit" Lima, Rafael "zakk" Fernanders e Alexandre "xand" Zizi, ele ainda conta que a adaptação ao espanhol não foi tão complicada como parece. Adicionalmente, ele ainda conta que a mudança de idiomas também ajudou a tornar sua comunicação mais eficiente.

Isso é um ponto interessante e eu acho que sim. Comunicando em português às vezes você fala coisas que não tem necessidade de falar, no espanhol eu tento ser o mais objetivo possível porque é o que eu consigo falar. Então dou as informações que realmente preciso dar. Pensando agora, acredito que sim, tornou mais eficiente”, analisa.

Divulgação/9z TeamDivulgação/9z Team

Mudanças no elenco e mentalidade para manter-se no topo

Contando com a ajuda do treinador zakk para facilitar sua adaptação, o elenco acabou tendo que se adaptar a mais uma nova mudança em setembro. Na época, a 9z Team enviou o argentino Martin "rox" Molina para o banco por motivos pessoais.

Não podendo ficar "abalado ou se frustrar porque são coisas que vão acontecer e fugir do nosso controle", nqz comentou também sobre a chegada de Nicolás "buda" Kramer do elenco de base da organização e os motivos para a escolha do jogador.

"Acho que foi literalmente o útil ao agradável. Ele vem jogando bem faz tempo, a gente sempre treinou contra (o Academy), e sempre tivemos um feedback muito positivo dele. Ele estava se destacando, é um moleque novo, tá na base faz dois anos já e tá merecendo essa chance. Dentro do jogo não tem nem o que falar, ele é sensacional, humilde, pró-ativo e tem vontade de jogo mesmo. Não tinha muito como pensar em outra pessoa se não ele", observa sobre o novo companheiro.

Continua depois do anúncio

Rasgando elogios à nova adição do plantel, o brasileiro também revela que a mudança trouxe um gás a mais para a 9z.

Considerando o RMR das Américas como "difícil pra caramba" e falando que o nível dos times "está sinistro", nqz mostra uma maturidade enorme ao falar sobre sua mentalidade quando olha onde chegou com tão pouca idade.

“É uma sensação muito daora e muito boa. É algo que sempre quis desde criança, mas eu particularmente tento não pensar muito nessas coisas e lotar minha cabeça com esses pensamentos, porque senão vira uma bola de neve", observa. "Eu acabo colocando uma pressão em mim que não preciso colocar, tá ligado? Querendo ou não, algo que senti quando fui pra Europa é que ninguém é robô, ninguém é o Super Homem. É possível ganhar dos caras e chegar longe nesses campeonatos”.

Motivações e o RMR das Américas

"Faz muito tempo que o Brasil não está realmente no topo, brigando pelo topo. É essa de realmente voltar com o Brasil no topo", é o que responde o jogador da 9z Team ao ser perguntado sobre o que o motiva a seguir. Vendo o Brasil em uma geração com muitos jogadores bons, o brasileiro quer colocar a região nos holofotes assim como a SK Gaming e Luminosity Gaming fizeram.

Foto: Rafael Veiga/DRAFT5Foto: Rafael Veiga/DRAFT5

O sentimento é que falta pouco para isso acontecer e ele terá a oportunidade de dar seu primeiro passo em direção a esse objetivo durante o RMR. Observando a motivação de seus companheiros, nqz revela que a equipe está bem focada.

Dizendo da nossa parte diria que sim, pra eles (jogadores não brasileiros da 9z) não tem esse gostinho especial de ser no país deles. Mas independente disso, pode ser onde for, tem o gostinho de jogar o Major, eles já tiveram da última vez e agora não é diferente. Todo mundo quer jogar um Major. Pra mim especialmente não tem o que falar. O que posso falar é que realmente estamos dando a vida, tá dando sangue e treinando que nem louco”, conta.

De olhos em um possível reencontro com a FURIA após o confronto pela Roobet Cup, o primeiro adversário da equipe será a 00Nation. Dirigindo-se para um período de bootcamp, o atleta comenta sobre como acredita que será o embate.

"Fator confiança e preparo estamos realmente focando muito e estamos bem, mas acho que com o bootcamp vai dar um gás a mais. Independente de quem fosse os times estão com um nível muito bom, a 00Nation não tem nem o que falar, os caras são realmente muito bons. Tem tudo pra ser um jogão, se a gente perder ou ganhar os próximos jogos também vão ser jogos muito bons", finaliza.

O RMR das Américas acontece entre os dias 5 e 9 de outubro. O primeiro compromisso do brasileiro ao lado da 9z Team pelo campeonato começa a partir das 7h da manhã (de Brasília) e você poderá acompanhar todos os resultados, notícias e mais por meio da nossa página especial.