DRAFT5

Nak sobre pressão por resultados: "Queremos alcançar as expectativas já no início do campeonato"

Jogador comentou a entrada do experiente destinyy no lugar de pesadelo

Nak sobre pressão por resultados: "Queremos alcançar as expectativas já no início do campeonato"Foto por: DRAFT5
Durante a primeira rodada do CLUTCH a RED Canids empatou seu jogo contra a Vivo Keyd, 14 a 16 na Vertigo e 16 a 2 na Train. As renomadas organizações vivem momentos diferentes, com a RED tendo mantido a base da temporada passada, reforçando sua equipe com o experiente Lucas "destinyy" Bullo, que entrou no lugar de Matheus "pesadelo" Panisset, enquanto a Vivo Keyd apostou na contratação da ex-Falkol e-Sports.

Logo após uma decepcionante GC Masters IV a RED optou por colocar pesadelo no banco, tanto que a equipe jogou a grande final do CLUTCH Brasileirão Season 1 com Rodrigo "RCF" Caponero. Para o capitão Renato "nak" Nakano a mudança de jogadores que aconteceu no final de 2019 foi natural. "O nosso estilo de jogo não mudou com a entrada do destinyy, porque ele tem o mesmo estilo que a gente já estava procurando, da mesma forma que era o pesadelo, um jogador explosivo", comentou.

Além da naturalidade e compatibilidade de estilos, destinyy esteve fora do Brasil atuando pela INTZ e-Sports na temporada passada. Antes, o jogador havia tido período com a Luminosity no cenário norte-americano. "A diferença entre os jogadores fica pelo que o destinyy trouxe de bagagem. Está agregando muito ao time a experiência que ele teve no exterior, tanto taticamente quanto em situações de rounds. Por ter uma ótima comunicação, acaba sendo um jogador que puxa muitas calls", revelou.

A primeira temporada do CLUTCH viu a recém formada RED Canids fazer fantástica campanha de recuperação, terminando na primeira posição de pontuação da liga. "A responsabilidade era a mesma, porque ano passado a gente já tinha um time novo e rolava uma pressão grande por conta dos nomes na equipe. Como a RED Canids é uma organização grande, eu não sinto diferença entre o ano passado e agora. Entramos com a mesma responsabilidade e queremos alcançar as expectativas já no início do campeonato", revelou.

Mesmo com o bom retrospecto, a estreia na segunda temporada do CLUTCH começou com um susto. A "matilha" viu a primeira metade terminar 13 a 2, e evitou uma derrota de placar mais elástico na segunda metade. "Eu sinto que nós entramos desligados, tipo 100% desligados. Isso já aconteceu outras vezes, e a gente tem que ter uma mentalidade melhor para que quando estiver em campeonato já entrar aquecido e na pegada. Estávamos desligados e tomamos basicamente todos os rushs e first picks que eles fizeram. Fomos acordar só lá de TR e isso não pode acontecer", lamentou.

Depois de "cochilar" no primeiro mapa, a RED voltou ligada e atropelou os adversários. "Não sei dizer se eles não estavam preparados, mas a gente começou bem e cresceu rápido na partida. Percebemos onde estavam os erros no jogo deles e começamos a abusar disso. Nós não usamos muita tática, era mais mira e sentir o momento de jogo. Talvez tenha faltado um pouco de preparo deles na Train, um pouco de falta de experiência, não sei", finalizou.

A RED tem compromisso marcado para quarta(19) contra a Isurus, valendo o fechamento da segunda rodada do CLUTCH. Para acompanhar essa e outras partidas confira a aba de próximas partidas.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Saiba Mais Sobre

Notícias Relacionadas