DRAFT5

"Minha família nunca teve muito dinheiro; quando comecei era com um PC que oscilava entre 70 e 100 de FPS", relembra malbs

Jogador contou sobre sua trajetória no FPS e relembrou primórdios da carreira

por Lucas Benvegnú / 06 de set de 2021 - 16:00 / Capa: Stephanie Lieske/ESL

Apesar de não ver o sangue brasileiro correndo em suas veias, Mario "malbsMd" Samayoa é certamente um dos jogadores mais queridos pela torcida tupiniquim. Pudera, aos seus 18 anos, o atleta é destaque da Team One, impressionando pela habilidade individual que contrasta com a pouca idade.

Em uma recente entrevista concedida ao The Enemy, o guatemalteco falou sobre sua trajetória no FPS, a resistência inicial de seus pais acerca do esporte eletrônicos e a inspiração na lenda Gabriel "FalleN" Toledo.

Ele, por sinal, começou a levar o Counter-Strike mais a sério após disputar a seletiva para o TWC 2015 com a Guatemala, que acabaria sucumbindo ao talentoso Canadá por 16 a 1. O único ponto da equipe, curiosamente, viria de um ACE de malbs, àquela época com seus 13 anos.

"Minha família nunca teve muito dinheiro. Quando eu jogava era com um PC que oscilava entre 70 e 100 de FPS", contou. "Quando joguei aquele campeonato, pensei comigo mesmo: 'Se nessas condições baixas eu já consigo jogar bem, acho que posso fazer mais se investir nisso'", lembrou.

A resistência da mãe, contudo, foi mais um obstáculo a ser enfrentado pelo guatemalteco, que com apenas 16 anos teve a chance de disputar a ESL LA League S3 em solo brasileiro, ao custo de alguma conversa para convencer seus pais de deixarem-no viajar:

"Minha mãe não queria me deixar viajar com o time porque achava que aquilo tudo era falso e que algo poderia acontecer comigo. Foi muito difícil convencê-la de que eu poderia ter uma carreira nos esports. (...) O meu pai ajudou bastante nisso, a acalmou e deixou claro pra mim, de novo, que era para eu seguir meus sonhos", explicou.

No fim das contas, entretanto, tudo se sucedeu da melhor forma possível, como a fala de malbs evidencia: "A minha mãe adorou o fato de eu conseguir trabalhar de casa e receber meu dinheiro. Hoje em dia ela é minha maior fã e vive compartilhando tudo que posto no Twitter e Facebook", brinca.

Continua depois do anúncio
malbs durante a ESL Pro League S10 - Americas | Foto: Divulgação/ESLmalbs durante a ESL Pro League S10 - Americas | Foto: Divulgação/ESL

E como todo jogador carrega consigo uma grande inspiração, com malbs as coisas não são diferentes. "Eu admiro muito o FalleN e quero ser o FalleN do meu país", garante o atleta. "Assim como ele foi no Brasil, eu quero ser na Guatemala. (...) Alguém que todos admiram e que as crianças possam enxergar um futuro nos esports e correr atrás disso pensando em mim, pois se eu consegui todas elas podem também", pondera.

"Quando eu evoluir ainda mais, gostaria de criar um projeto semelhante a Games Academy para as pessoas da Guatemala", ressalta. "Eu gostaria de conversar com o FalleN algum dia (sobre esse projeto). Pedir algumas dicas de como ele fez a Games Academy e em quanto tempo ele planejou o projeto, pois é algo a longo prazo", finaliza.