DRAFT5

"Melhor coisa foi ter conhecido o brutt e a família dele", horvy relembra época de Reapers

Jogador revelou que brutt chegou a receber propostas para jogar fora do Brasil, mas ficou preso em questões contratuais

por Filipe Carbone / 22 de out de 2020 - 20:58 / Capa: Divulgação/CBCS
A morte precoce de Matheus "brutt" Queiroz no fim do ano passado ainda ecoa no cenário brasileiro de Counter-Strike: Global Offensive. Durante o OVERTIME, novo programa da DRAFT5, João "horvy" Horvath falou sobre os momentos que passou ao lado do menino prodígio no período da Reapers.

De acordo com ele, apesar do convívio difícil na Gaming House com os ex-companheiros de equipe, a relação com brutt sempre foi a melhor possível. Justamente por isso, define o melhor momento que passou na organização justamente ter conhecido o jovem talento e a família dele.

"A partir do momento que eu cheguei na Reapers eu falei: você é meu irmãozinho e eu vou te ajudar. Quando você fizer merda eu vou te xingar, e quando você jogar bem eu vou falar que você jogou bem. Quando eu jogar mal você vai falar que joguei mal, porque é isso que a gente faz", disse.

No entanto, horvy fez questão de ressaltar o talento e a qualidade de brutt dentro do Counter-Strike. Fã de Vito "kNgV-" Giuseppe, horvy destaca que ele possuía um estilo de jogo semelhante ao do próprio ídolo.

Jogador falou sobre período com a Reapers | Foto: Lucas Spricigo/DRAFT5


"Ele era um dos caras que mais me lembrava o kNg jogando. Eu joguei com o kN, é um dos melhores AWPs que eu vi jogar. Já joguei com s1mple... E o moleque era muito skillado. Era diferenciado e agressivo para cacete", ressaltou.

Em seguida, horvy afirmou qual é uma das maiores chateações que carrega em relação ao prodígio: "Ele era muito fã do Vito, e ver que ele não teve essa oportunidade de crescer dentro do jogo que tanto gostava me deixa muito chateado".

Tanto talento do jovem AWPer não poderia passar desapercebido de outros times, mesmo que fora do Brasil. Durante a conversa no OVERTIME, horvy revelou que brutt chegou a receber propostas para atuar fora do país, mas não foi por questões contratuais.

No entanto, diz se arrepender de não ter auxiliado a ida de brutt para outro time: "Um dos meus maiores arrependimentos é que ele teve uma proposta de ir para fora. Eu falei que fazia de tudo, que a gente rasgava o contrato, que ia sem pagar nada, mas deu merda na negociação".

Atualmente, horvy está atuando como capitão da Cream Real Betis na Europa. No entanto, apesar do bom relacionamento que teve com brutt no retorno ao Brasil, o jogador é enfático ao dizer que "não voltaria no Brasil", indicando ainda mais a vontade de viver uma carreira internacional.

Continua depois do anúncio