DRAFT5

Mawth sobre nova formação da Vivo Keyd: "É um time muito bom e ainda não sabemos até onde podemos chegar"

Equipe surpreendeu na primeira rodada do CLUTCH

Mawth sobre nova formação da Vivo Keyd: "É um time muito bom e ainda não sabemos até onde podemos chegar"Foto por: Rafael Veiga/DRAFT5
A primeira rodada do CLUTCH Brasileirão Season 2 contou com o embate entre a poderosa RED Canids de Renato "nak" Nakano, contra a reformulada Vivo Keyd do capitão Matheus "mawth" Gonçalves. O jogo terminou com um empate, sendo o primeiro mapa vencido pelos estreantes da Keyd, 16 a 14 Vertigo, enquanto o segundo foi tranquilo para a RED, 16 a 2 na Train.

Após o jogo, mawth comentou a montagem de sua equipe, que conta com peças como o antigo companheiro Pedro "bnc" Mendes, mas também o jovem Guilherme "piria" Barbosa. "Não vou dizer pra você que a gente vai ser campeão, mas viemos com a confiança de que vamos ganhar tudo", contou.

"Eu posso sentir, mas não posso afirmar ainda porque são cinco jogadores que tem muito talento mas falta encaixar tudo. Então não tenho ainda uma opinião mais formada, e acredito que vai ser uma surpresa já que é um time bom e ainda não sabemos até onde podemos chegar. Pode ser que a gente deslanche daqui pra frente, ou que apenas mantenha um bom nível. Cada jogo é uma surpresa, já que somos cinco jogadores que nunca jogaram juntos. Somos crus como time ainda", pontuou.

O primeiro jogo dos "guerreiros" foi contra a RED Canids, uma das favoritas no campeonato por tudo que fez no ano passado. O time de mawth começou avassalador, fechando a primeira metade em 13-2. O estilo rápido e agressivo da Vivo Keyd parece ter surpreendido a RED. "É um time surpresa, não tem nada para eles estudarem, não tem como ver nada da gente. Foi uma interrogação pra eles, além do mapa ser muito bom nosso. A soma dessas duas coisas, fora confiança, justificou o início tão bom. A dificuldade em fechar com placar mais elástico veio do fato do mapa ser muito mais TR, é muito difícil de jogar como CT", ressaltou.

Enfrentar um adversário experiente na lan sempre pesa na forma da equipe jogar. A Keyd teve dificuldades para fechar o mapa e quase cedeu uma prorrogação. "É aquela história, quando você está num campeonato não vão ter jogadas iguais a de um treino. É comum em treino você arriscar, pegar, dar a cara, e as vezes conquistar uma informação que não esperava conquistar. Nós tínhamos ideia do que eles estavam fazendo, mas ainda sim a call deles estava muito boa", pontuou.

Mawth também usou sua percepção e conseguiu ler as intenções da RED para fechar o mapa. "No final do mapa o nak fez uma call mais experiente de ir B, que poderia pegar a gente de surpresa. Eu imaginei que ele fosse fazer isso, uma tentativa de surpreender no round decisivo, tanto que nem fizemos questão de defender a A, já esperando que ele viria para a B mesmo", revelou.

No mapa de escolha da RED a história foi outra. Mesmo jogando de CT, a Vivo Keyd não mostrou reação ao estilo de jogo da "matilha", terminando atropelados por 16 a 2. "O que deu de errado é que não entramos de acordo no plano de jogo. Combinamos uma coisa antes e não fizemos ela durante a partida. O plano era jogar colocando pressão, mas todo round a gente estava atrás. Ficou aquela discordância de "vamos não vamos", a RED percebeu isso e deitaram e rolaram. É algo que de se resolver não é tão difícil, basta sentar e conversar. Porque não pode ter um querendo jogar agressivo, o outro recuado, o outro quer fazer uma play diferente... então fica essa discordância e isso facilita muito pro adversário", lamentou.

O time volta ao CLUTCH na semana que vem, quando enfrenta a Bravos Gaming pela segunda rodada. Acompanhe a aba de próximas partidas e não perca nenhum jogo.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Saiba Mais Sobre

Notícias Relacionadas