DRAFT5

Julih valoriza preparação para GC Masters: "Errar menos e tentar levar o título"

Em entrevista para a DRAFT5, julih contou sobre a expectativa para o torneio e transição par a B4

por Pietro Santiago / 05 de Ago de 2022 - 10:37 / Capa: Reproduçao/DRAFT5

A B4 Esports ingressou no cenário feminino de CS:GO há algumas semanas e já tem a chance de faturar um dos principais títulos com a GC Masters Feminina V. A equipe é colocada como a principal concorrente da FURIA no campeonato, mas Julia "julih" Gomes deixou de lado esses fatores e aposta na boa preparação.

"A nossa preparação foi bem intensa, estamos treinando bem forte, das 14 até as 22h, tá bem pegado, estou bem confiante para essa LAN. Acho que não tem uma pressão (para derrotar a FURIA), porque querendo ou não já vencemos alguns confrontos da FURIA, então é jogar o CS, errar menos e tentar levar o título."

A jogadora de 23 anos é uma das poucas a terem jogado todas as edições de GC Masters Feminina, ficando com dois vice-campeonatos. Julih valorizou esse retrospecto de participação e agora em uma organização que está investindo cada vez mais no CS:GO.

"Pra mim é absurdo, a primeira GC Masters que eu participei estava com esse hype de ser em LAN, deu o que deu, cancelaram, mesmo assim é um campeonato absurdo, muito grande e estar representando com a B4 é muito forte."

DE BD PARA B4

O time base da B4 construiu uma grande trajetória com a camisa da Black Dragons, chegando a disputa da primeira edição da ESL Impact, em Dallas. Julih agradeceu todo o apoio da organização, incusive de trazer o treinador Igor "darkpsy" Zaniboni.

"A transição está sendo muito boa e muito fácil, infraestrutura, office, staff, tudo da B4 é alto nível, para gente está muito fácil de adaptação. Coach muito excelente, traz muita coisa tática para o time. Se pegar nosso time no começo e agora com ele, dá pra ver ver a evolução contínua, taticamente falando é absurdo, não tem do que reclamar, então não tinha como trocar de organização e não trazer ele."

Foto: Reproduçao/DRAFT5Foto: Reproduçao/DRAFT5
Continua depois do anúncio

Por fim, a riffler contou sobre o período em que estiverem fora do país para o campeonato internacional, reconhecendo que alguns times ainda estão acima, principalmente no quesito de poucos erros, mas destacou a importância para a carreira.

"Vir para o Brasil depois dessa experiência é muito bom e me agregou muito como profissional, pq consegui ver como as melhores do mundo se portam e é igual a gente."

A GC Masters Feminina V acontece entre os dias 5 e 7 de agosto, distribuindo R$60 mil de premiação total. A DRAFT5 fará a cobertura completa, com resultados, lance a lance dos jogos e entrevistas na página do torneio no site.