DRAFT5

Da melhor versão furiosa aos resultados decepcionantes; veja como foi o semestre da FURIA

A equipe brasileira chegou a ser considerada a melhor FURIA de todos os tempos, mas teve um final de temporada melancólico

por Pietro Santiago / 03 de Ago de 2022 - 19:00 / Capa: Arte/DRAFT5

A primeira parte da temporada 2022 acabou e só volta no fim de agosto para a disputa da ESL Pro League Season 16. Portanto, a DRAFT5 preparou um resumo dos primeiros seis meses da FURIA, que viveu altos e baixos, mas encerrou com um gosto amargo na boca.

É necessário lembrar que a FURIA iniciou o ano apostando em uma grande modificação no elenco, com a saída de Vinicius "VINI" Figueiredo para a entrada de Rafael "saffee" Costa, trazendo um AWPer de ofício de volta ao time brasileiro.

PRIMEIROS RESULTADOS NEGATIVOS

Apesar das mudanças e visando um futuro melhor, os primeiros compromissos da "nova" pantera não foram positivos. A equipe brasileira foi eliminada pela Wisła Kraków na Pinnacle Winter Series #1 e chegou na final da ESL Challenger #48, mas foi atropelada pela Virtus.pro na decisão.

Os representantes nacionais chegaram com um pouco da confiança abalada no principal torneio do começo de temporada: IEM Katowice. A FURIA apresentou sinais de melhora naquela competição, chegando a ganhar da Astralis na estreia. Contudo, os brasileiros caíram para a NAVI e G2 Esports em sequência, culminando em mais uma eliminação na fase de grupos.

Foto: Radosław Makuch/HLTV.orgFoto: Radosław Makuch/HLTV.org

A MELHOR FURIA QUE JÁ EXISTIU?

Os resultados negativos acenderam um sinal de alerta, principalmente na torcida furiosa, afinal a mudança no time foi correta? A resposta positiva veio em abril, quando os brasileiros realizaram um bootcamp de aproximadamente um mês para a disputa da ESL Pro League S15.

Mesmo com a desconfiança da torcida e no grupo da morte, a FURIA surpreendeu a todos com um jogo muito encaixado, capaz de derrotar Vitality e ENCE — duas das melhores equipes do mundo. A única derrota foi para a FaZe Clan, mas nada para ameaçar a primeira colocação brasileira do grupo B.

O time liderado por Andrei "arT" Piovezan entrou diretamente nas quartas de final e derrotou a Astralis por 2 a 1. A FaZe Clan foi a adversária da semifinal, mas a FURIA não conseguiu a revanche — mesmo tendo chances de vencer os dois mapas — e acabou eliminada do torneio, mas o resultado foi amplamente comemorado pela comunidade brasileira.

A sequência também foi positiva, com os panteras dominando o RMR das Américas, tendo um percalço com a derrota para a paiN Gaming no classificatório para a BLAST Spring Finals 2022, mas a expectativa pré-Major era de estar vendo a melhor FURIA de todos os tempos e pronta para ganhar o cobiçado título.

Foto: Eric Ananmala/ESL via ESPATFoto: Eric Ananmala/ESL via ESPAT

A equipe brasileira sofreu na fase de grupos, perdendo na estreia para a Spirit, mas derrotando Team Liquid e BIG, respectivamente. Faltando apenas uma vitória para chegar aos playoffs, os brasileiros foram derrotados pelos suecos da NIP e decidiram a vaga em uma série MD3 eletrizante contra a G2, saindo vitoriosa por 2 a 1.

Continua depois do anúncio

Pela segunda vez na história, a FURIA alcançou as quartas de final de um Major e chegou com amplo favoritismo contra a Spirit, sensação do campeonato. Os russos tiveram uma atuação sólida, controlaram as iniciativas brasileiras e protagonizaram uma dura eliminação para a FURIA.

FINAL DE TEMPORADA MELANCÓLICA

Apesar da tristeza, a comunidade reconheceu a boa fase da equipe e mandou palavras de incentivo ao esquadrão brasileiro. A equipe não teve muito tempo de lamentação porque já viajou para os Estados Unidos na semana seguinte para a disputa da IEM Dallas 2022. Por lá, mais uma boa campanha, eliminado na semifinal para a ENCE, mas marcou o começo da queda furiosa.

Posteriormente, a FURIA disputou mais três campeonatos, sendo dois online e a IEM Cologne 2022 para encerrar a temporada. A Roobet Cup teve a presença de muitas equipes no topo do ranking e os brasileiros tinham um certo favoritismo para ao menos passar de grupo. O resultado não foi o esperado, com a 9z Team surpreendendo em dois jogos e eliminando a FURIA do campeonato nas últimas posições.

A FURIA viajou para a Espanha na sequência para disputar a ESL Challenger Valencia, onde novamente tinha um grande favoritismo ao título. Porém, o time voltou a apresentar muitos defeitos, perdeu para a Sprout em MD1 e para a recém-formada 00Nation, amargando a última colocação do torneio.

A comissão técnica e até os jogadores relataram que os torneios foram utilizados como preparatórios para a grande ambição dos times no encerramento do semestre: IEM Cologne 2022. Os brasileiros perderam na estreia para a Astralis, recuperaram na repescagem com vitórias em cima de Outsiders e Spirit, mas não asseguraram a vaga no mata-mata da Catedral do Counter-Strike na derrota para a Team Liquid.

Foto: João Ferreira/PGLFoto: João Ferreira/PGL

O fim da trajetória no primeiro semestre foi definido como decepcionante, mas os jogadores também ressaltaram a fadiga e burnout com o longo período longe de casa. Por outro lado, a FURIA será uma das poucas equipes que manterá a base para o segundo semestre e quer fazer história no Major do Brasil, em novembro.