DRAFT5

Em jogo digno de final, Astralis derrota MIBR e conquista a BLAST Pro Series

Equipe dinamarquesa devolveu a derrota para os brasileiros em Copenhagen no ano passado

Em jogo digno de final, Astralis derrota MIBR e conquista a BLAST Pro Series
Dominante. É assim que se define a Astralis neste momento. O time dinamarquês até teve um pouco de dificuldade contra a MIBR, mas venceu por dois mapas a um e conquistou o título da BLAST Pro Series na tarde deste sábado (29). Na decisão, em Istanbul, a Astralis venceu o primeiro mapa com extremo domínio: Train por 16 a 3. Já em sua escolha, Overpass sofreu com o bom lado terrorista da MIBR, e perdeu por 16 a 14. No mapa decisivo, Inferno, um verdadeiro jogão. As duas equipes se equilibraram, e um novo 16 a 14 decidiu para os dinamarqueses.

A conquista foi uma vingança da derrota para antiga SK Gaming, jogando em casa (Copenhagen) no ano passado. Na mesma BLAST Pro Series, os dinamarqueses sofreram a virada para os brasileiros e perderam o título.

Com a conquista, a Astralis ficou com uma premiação de $125 mil. Já a MIBR com o vice-campeonato, levou $50 mil. Em terceiro lugar ficou a Ninjas in Pyjamas que derrotou a Space Soldiers no duelo de 1vs1.

O JOGO

MIBR 1 vs. 2 Astralis



MIBR 3 vs. 16 Astralis - Train

Mesmo não sendo seu mapa de escolha, a Astralis começou a partida na frente. De contra-terrorista, Nicolai "dev1ce" Reedtz garantiu o quad kill no pistol round e deu o primeiro ponto para sua equipe. On-fire, dev1ce chegou a doze eliminações em três rounds, fechando o bombsite B.



Mesmo armados, a MIBR sofreu para encaixar seu jogo. Tinha dificuldades com o domínio de espaço e a skill em dia dos dinamarqueses. Isso custou mais quatro pontos e o sete a zero para a Astralis.

O primeiro brasileiro veio graças a dupla Fernando "fer" Alvarenga e Tarik "tarik" Celik. Os dois eliminaram os cinco jogadores adversários e deixaram o placar sem sete a um adverso.



Apesar de ter conquistado um ponto, a MIBR não conseguiu mais encaixar suas ofensivas e viu seu adversário abrir grande vantagem. Ao final do half, a Astralis saiu vencendo por 13 a 2.

Buscando uma longa recuperação, a equipe brasileira conquistou o segundo pistol do mapa. Segurou o avanço dinamarquês pela região do fundo e chegou ao seu terceiro ponto.

Porém, á no round seguinte, o trabalho de grandas da Astralis funcionou bem, voltaram a pontuar e quebraram a economia brasileira. Com a vantagem econômica e bélica, ficou fácil para emplacarem os rounds necessários e fecharem o mapa em 16 a 3.



MIBR 16 vs. 14 Astralis - Overpass

Precisando vencer o mapa para manter chances de título, a MIBR conquistou o pistol com um domínio na região da ligação e duas eliminações rápidas de Tarik "tarik" Celik. Porém, assim como no primeiro mapa, não seguraram o pistolete adversário e perderam o ponto. Com a vantagem bélica viraram a partida para três a um.

No primeiro armado, a Astralis trabalhou a invasão ao bombsite B com um jogo de granadas e ficou com o ponto. Apesar de ter conquistado mais um ponto, a MIBR não conseguia se defender. Assim, a Overpass parecia uma reprise do primeiro mapa.

Com todas as invasões precisas e a troca de kills rápida, a Astralis garantiu a vitória no half fazendo oito a três. Somente na parte final do half, os brasieiros conseguiram se recuperar no mapa, virando o half perdendo por 10 a 5.

Invertendo os lados, novamente os brasileiros conseguiram levar o pistol round. Puniram o avanço da Astralis com quatro eliminações no início do round, ficando com o ponto. Depois, confirmaram os rounds com vantagem bélica e diminuiram a vantagem adversária de cinco para apenas dois.

No primeiro armado, a MIBR falhou na hora de limpar o bombsite e não conseguiu fazer o plant. Depois, os times começaram uma troca de rounds que terminou favorável para os brasileiros, que voltaram para a partida e empataram em doze a doze.

Voltando a estar armada, a Astralis novamente encaixou sua defesa e aproveitou a lentidão dos brasileiros para invadir o bombsite. Para se aproximar da vitória e quebrar a economia brasileira Peter "dupreeh" Rasmussen garantiu três eliminações sozinho no bombsite A.



Porém, ainda sem desistir, a MIBR foi buscar o um novo empate em quatorze a quatorze e deu emoção a partida. E, aproveitando a vantagem econômica, ficaram com o map point. Com uma única oportunidade de fechar, os brasileiros apostaram em um rush ao bombsite B, conseguiram as eliminações rapidamente e fecharam o mapa em 16 a 14.

MIBR 14 vs. 16 Astralis - Inferno

Valendo o título, a MIBR começou agressiva. Venceu o pistol round com uma entrada rápida ao bombsite A e três eliminações de Fernando "fer" Alvarenga. Mas, Andreas "Xyp9x" Højsleth devolveu as três eliminações no round seguinte e a partida chegou ao empate em um a um. Assumindo a vantagem bélica, a Astralis virou o jogo para três a um.



No primeiro armado, os brasileiros tentaram uma invasão ao bomb A, pela região do Xuxa, mas com poucas granadas acabaram perdendo o ponto. Depois, a Astralis passou a acertar sua defesa e rapidamente abriu seis a um.

Após o mal começo, a MIBR começou a acertar suas ofensivas. Mostrando paciência para fazer as entradas. Garantindo a first kill e o domínio da região da banana. Desta maneira marcaram três rounds consecutivos.

Apesar de ter perdindo um ponto, seguiram encaixando suas ofensivas e empataram em sete a sete.



No último round do half, os brasileiros trabalharam uma entrada com smokes ao bombsite A, mas bem posicionado, Emil "Magisk" Reif fez três eliminações e fechou o half em 8 a 7 para a Astralis.



No segundo pistol da Inferno, a Astralis reverteu uma situação de 2vs3 para ficar com o ponto. Aproveitando a vantagem bélica aumentaram a vantagem para quatro pontos.

Indo para os armados, a MIBR segurou a primeira entrada do adversário ao bomb B. Mas, no round seguinte, repetindo a jogada, a Astralis venceu e chegou ao seu décimo segundo ponto. Logo depois, a defesa brasileira começou a encaixar e empataram o jogo em doze a doze.



Porém, no momento de passar a frente no placar, a MIBR não conseguiu segurar o rush da Astralis.



A partida passou a ganhar emoção. Com rounds decididos nos detalhes, a Astralis chegou ao match point. Para impedir a primeira chance de vitória dos dinamarqueses, Marcelo "coldzera" David garantiu o quad kill para MIBR.



Porém, na última chance de fechar a partida, a Astralis encaixou sua entrada ao bombsite A e fechou o jogo em 16 a 14.

Capa: Reprodução/Twitter/BLASTProSeries
Gamers Club
Faça parte da maior comunidade de CS:GO da América Latina. Na Gamers Club você pode jogar campeonatos, aprender com jogadores profissionais e iniciar sua carreira no cenário competitivo. E ainda pode jogar com seus amigos apenas por diversão. Venha viver o game.
Conheça a Gamers Club

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Saiba Mais Sobre

Notícias Relacionadas