DRAFT5

destiny avalia sua temporada no exterior: "O ano na INTZ foi bom, mas individualmente foi péssimo"

RED Canids conquistou importante vitória sobre a Isurus e segue no G4 da competição

destiny avalia sua temporada no exterior: "O ano na INTZ foi bom, mas individualmente foi péssimo"Foto por: Rafael Veiga/DRAFT5
Com poderoso elenco para a disputa da segunda temporada do CLUTCH, a RED Canids conquistou importante vitória diante da Isurus na segunda rodada do campeonato. O time de Renato "nak" Nakano chegou ao 2 a 0 contra os argentinos em uma disputada Mirage, 22 a 19, e Dust 2, 16 a 10.

A matilha se reforçou no início da temporada com a chegada de Lucas "destiny" Bullo. O jogador compartilhou seus pensamentos sobre a volta ao Brasil e as expectativas com o time. "Fez um mês agora que eu voltei a treinar e jogar. Acho que fiquei uns três meses sem jogar, e logo que voltei teve o classificatório da WESG, então a vaga foi um resultado muito bom", afirmou.

Com vasta experiência internacional, o jogador revelou que tem novos objetivos para a carreira. "Foi muito importante pra mim conquistar essas vagas na WESG e fechado do Minor. Agora é alcançar o tão sonhado Major de novo, e o meu sonho já mudou de jogar o Major, coisa que eu já fiz, para ganhar ele", revelou.

Mesmo com a primeira vitória diante da forte equipe argentina, destiny ainda não está satisfeito com o desempenho da equipe. "Eu estou me adaptando ao time ainda, estamos bem crus. Precisamos focar mais para ter mais estratégias, nosso map pool ainda está fraco. É isso, sempre se dedicar mais, mas estou gostando", pontuou.

O jogador deixou a INTZ após quase um ano, fazendo o caminho de volta ao país. "O ano na INTZ foi bom, mas individualmente foi péssimo. Eu não consegui encaixar bem no time, meu jogo não encaixou. Em time conquistamos coisas muito boas, mas individualmente não foi legal. Eu tive que deixar o time por problemas de visto, então espero agora voltar a jogar aqui no Brasil, ser a melhor equipe e o melhor jogador, e depois ir para fora e não parar mais", apontou.

O resultado de 2 a 0 diante da Isurus foi comemorado por destiny, já que a equipe havia perdido o mesmo confronto pela FLASHPOINT. "Comparando esse jogo com o da estreia do CLUTCH, nós focamos muito em entrar atentos, coisa que não fizemos no jogo contra a Vivo Keyd. A gente já tinha enfrentado a Isurus alguns dias atrás, então já tínhamos ideia de quais seriam os mapas. Focamos muito no nosso jogo e em entrar atentos para não cometer erros do jogo passado", afirmou.

A dominância da RED Canids no segundo mapa não foi enxergado como tilt dos argentinos por parte de destiny. "Foi mais mérito da nossa parte. Eles estavam jogando o jogo deles, mas a gente sabia o que iriam fazer e nos preparamos muito bem pra essa partida. Concentramos nos erros que tivemos na outra MD3 e deu tudo certo", argumentou.

Com um elenco de muito nome e miras poderosas, muitas equipes apontaram a RED como um dos times mais fortes do campeonato na trocação. Eu concordo que temos um time com a mira muito forte. Todos os jogadores são fortes na trocação e dão só na cara. Somos um time muito skillado, mas falta ainda encaixar nosso jogo em time. Estamos muito inconsistentes, então precisamos de um tempo para arrumar isso e chegar muito mais fortes", finalizou.

A equipe de destiny volta a jogar no dia 9 de março, segunda, às 20:30 diante de outra pedreira, a DETONA Gaming.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Saiba Mais Sobre

Notícias Relacionadas